quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Carta à filha

Filha,

Queria começar dizendo que você não tem que pedir desculpas por nada. Quem errou não foi você, foi aquele babaca que achou que seria mais homem expondo você num momento que só dizia respeito a vocês dois.

Quer dizer, você pode ter feito uma escolha errada, mas a gente escolhe pessoas erradas o tempo todo. Não se culpe por isso. Você não escolhe pior do que ninguém na sua idade. Só teve azar do cara ser mais babaca do que a média costuma ser.

Dito isso, queria dizer que você não devia ter vergonha de ter sido exposta fazendo sexo com seu ex-namorado. A maioria das pessoas na sua idade faz, acredite em mim. Quase todas as meninas que apontaram o dedo pra você, te chamando de vagabunda ou coisas do tipo, fazem exatamente a mesma coisa que aparece no vídeo. A diferença é que elas são hipócritas. De repente, até você poderia se comportar da mesma maneira, se fosse uma delas a vítima de um babaca. Julgar as pessoas faz parte de nossa natureza. Uma natureza cruel essa nossa, mas é real.

Quanto a mim e à sua mãe, não se preocupe com a gente. Pra mim não importa se vou descobrir que alguns babacas que eu achava que eram amigos resolveram apontar o dedo pra você, ou pra mim. No fim das contas a utilidade deste tipo de situação é exatamente derrubar a máscara destes idiotas, e colocar-nos num caminho diferente do deles daqui por diante. Sua mãe pensa igual, pode acreditar.

E acredite sim, a gente não se importa com o fato de você fazer sexo com seu namorado aos 17, porque quando tínhamos 17 nós fazíamos a mesma coisa, e lembramos como era ficar se escondendo pra fazer isso. Era angustiante, mas era gostoso, e a gente sabe que viver isso é importante pra você se descobrir, descobrir o que gosta e o que não gosta, e com quem gosta. Pra gente o que importa é que o sexo seja seguro e gostoso. Infelizmente, pra você, acabou não sendo.

Sabe o que mais entristece a gente agora? Sabe o que nos frustra mais? Saber que você não vai ler isso. Porque você se enforcou hoje pela manhã. E estava tão assustada com isso, e tão preocupada com a gente, que fez questão de noticiar isso nas redes sociais e naquela carta que estava em cima do seu travesseiro. E a gente não conseguiu te confortar porque nem deu tempo. Porque se eu tivesse visto a porcaria das fotos antes de ver você pendurada no banheiro, não teria deixado você a sós.

Tudo o que a gente queria era te colocar no colo agora e dizer que a gente ficaria junto e faria o que fosse necessário pra te devolver a alegria de volta. A gente mudaria de rua, de escola, de trabalho, de bairro, de cidade, de país. Porque nada é mais importante pra gente do que estar juntos. E perdemos isso.

Nessas horas seria muito reconfortante acreditar que você foi para um lugar melhor, coisa e tal. O fato é que infelizmente, eu sei que não foi. Porque não existe lugar melhor pra você do que na nossa casa, com a gente. E só ficaram as fotos.

9 comentários:

Mônica disse...

Nossa! Sem palavras.

Lucas disse...

Ficou muito foda velho :'(

carmen disse...

Texto de uma sensibilidade linda! Meus filhos já passaram dessa fase, sem grandes sofrimentos, graças a Deus! Mas a gente sofre junto com os outros pais que passam por coisas horrorosas dessas! Precisamos recusar duramente essas posturas machistas e hipócritas. Não cabem mais!! Valeu seu texto, amigo!

Tels MENDES disse...

FODA !!

SAMUEL disse...

MEU DEUS NAO SEI NEM O QUE PENSAR NEM O QUE FALAR AGORA É REFLETIR PARA NAO ACONTECER COM OS MEUS

Viviane disse...

Lindo! Até quando as mulheres que vivem sua sexualidade estarão sujeitas a essas coisas?

Anônimo disse...

Profundidade e sensibilidade é para poucos... meus pêsames por sua perda. Minhas orações serão para sua filha... q Deus os reconforte...

Rodrigo Lima disse...

Anônimo, só registrando que eu não perdi minha filha...o texto foi feito pensando nos pais das meninas que se mataram por causa da exposição de cenas de relações sexuais delas...

Daniel Sabino disse...

baita texto